31 de julho de 2017

O Capricho do Tempo


Agora que estás de volta
há mais amanheceres nos meus dias.
As borboletas também vieram 
desobedecendo as primaveras 
e um desassossego quase ritmado bate no peito,
teimosa e pontualmente antes de cada chegada tua.

Contemplo-te em silêncio,
meu modo mais sublime de dizer 
da "desimportância" das palavras 
à beira do teu abraço
E o meu interior perplexo
encharcado de cicatrizes e de receios 
desabrocha aos poucos e com delicadeza 
as paixões e os poemas que guardei só para ti




O tempo te trouxe de volta 

      e eu sorri...



M. Lucas