4 de junho de 2017

A Outra Face


Imagem : Selma del Bosco


Eu não quero o que me define. 
Eu quero o meu avesso
o meu defeito
a minha  sombra
Quero o meu dia menos bom
a minha fraqueza
o que me afasta do comum
do óbvio ululante
o que me diferencia
o que me "indefine"



Eu não quero a minha máscara
a minha maquilhagem
o meu brilho
muito menos o sorriso
Quero o meu choro
a minha vela
as minhas veias tortas
o meu mau feitio
o meu pessimismo

Eu não quero a minha perfeição
nem o meu verso
ou o meu afago
nem a minha compreensão
ou a minha rima


Eu quero a minha dor mais profunda
o meu segredo mais sombrio
a ferida que mais me sangra
o que te inquieta,
o que te incomoda
o que odeias

Deixe-me estar imperfeita
esquecida
inacabada
Esta também  sou eu
Esta sobretudo sou eu.

Se não és capaz de amar a minha sombra
esquece-te também da minha luz


Mª Lucas