9 de dezembro de 2013

Herança



Quando chegarem teus filhos
Encontrarão em minha gaveta de nuvens
Todos os sonhos gastos dos meus quereres sem fim
E o brilho das pedras que garimpei 
Entre conchas quebradas, areia e marfim
Será dos teus filhos essa herança tonta
A miúda estranheza nos olhos
Que teima em finais felizes 
e em cada um, faz de conta.


Enviar um comentário