29 de setembro de 2013

Sede



Despe-me com teus olhos,
Arranca-me a pele que me protege do medo da tua ausência
Veste-me do toque das tuas mãos
E arrasta a tua boca na minha
Até que o teu gosto seja a única verdade que me sacie
E o meu nome seja a única palavra que te cale

M. Lucas

E que me perdoem aqueles que acham isto tudo um exagero mas,
como diz Victor de La Hoz, “A verdadeira loucura é demasiado complexa
para almas superficiais”, ou ainda J. Castro, “ o suficiente me deixa querendo mais”.

Viver é ter sede.

27 de setembro de 2013

Tradução




"_______Só o silencio traduz a imensidão do que hoje grito."

M. Lucas

Um esclarecimento:
"Os poetas não são azuis nem nada, como pensam alguns supersticiosos,nem sujeitos a ataques súbitos de levitação.O que eles mais gostam é de estar em silêncio - um silêncio que subjaz a quaisquer escapes motorísticos e declamatórios.Este impoluível silêncio em que escrevo e em que tu me lês.
Mario Quintana

15 de setembro de 2013

7 de setembro de 2013

Na Ponta dos Dedos





Sou qualquer coisa que se faz forte no vazio da ausência
E se desfaz inteira pela doçura de mãos que trazem amor
na ponta dos dedos.