11 de junho de 2013

Até o Vento Respeita




Não é que eu procure a poesia sempre
mas é que ela, teimosa e exibida como costuma ser para mim,
às vezes se atravessa a minha frente sem eira nem beira.
E eu gosto.

Lá vai meu agradecimento ao inusitado, por me fazer parar e encher a alma de luz.
Deu até vontade de criar algo que fosse doce como o momento:

"Aqui tudo passa sem pressa
Até o vento respeita
E quem vem de fora confessa
Que a vida assim é perfeita."


Maria Lucas
Enviar um comentário