1 de maio de 2013

Pele de Poeta




Gosto de pensar que os olhos que me lêem são como línguas sedentas de poesia
Gosto de pensar que passo a ser dona desses mesmos olhos,
nem que seja pelo curto instante da leitura.
Cubro-me dos sonhos que outros também ousam sonhar
Exponho-me de sentimentos que outros também podem sentir
Confesso desejos proibidos que outros sonham fazer
E nesse encontro sinto o toque de outros dedos na pele de seda da minha inspiração
Assim, duas almas se encontram
Assim, duas almas se tocam
Pelo simples prazer de amar poesia
Nem que seja pelo curto instante da leitura
Pelo curto instante em que teus olhos são meus

Maria Lucas
Enviar um comentário