19 de maio de 2013

Osmose



Chegaste-me por um caminho inusitado,
Por portas que julguei trancadas.
Chegaste-me sem aviso, sem preparo
Com um cheiro bom e inebriante
Num dia nublado e sem brilho
Penetrando-me com emoções inusitadas.
Aqueceste-me o peito por dentro
Apenas com palavras…
Mas das que surpreendem e arregalam os olhos
E agora ponho-me a imaginar como seria
Encontrar os teus olhos de poeta nos meus
E ter, pelo toque das tuas mãos,
A tua poesia doce
Escrita na minha pele.

E a porta não estará trancada desta vez….

Maria Luca
Enviar um comentário