23 de janeiro de 2013

O Teu Nome



Desconheço a autoria da foto


Trago em mim metades de sonhos
Poemas inacabados
Amores impossíveis
Guardados nas pontas dos dedos
Molhados na minha saliva
Colados nas curvas do corpo.

Se um novo amor me desperta
Assim como brisa ou suspiro
Assim como quem não procura
Revivem meus sonhos inteiros
Poemas renascem em grito
E amores transbordam de gozo

E assim aconteces-me agora
Sempre que te toco a pele
Sempre que te bebo a saliva
Sempre que em minha cintura
Perdem-se os teus braços morenos.

E de gozo e cansaço

adormeço o que me transborda

e grito e suspiro


e calo


o teu nome em mim.





Enviar um comentário